Blog que pretende abordar assuntos do quotidiano que nos rodeia.
02 de Janeiro de 2009

Segundo dados divulgados pelo INE, em  2007 foi o ano em que os portugueses tiveram maior carga fiscal, pelo menos dos últimos 13 anos (data até onde existem dados disponíveis).

Estes são dados que nos devem fazer reflectir.

Quando cada vez é maior a parte do nosso rendimento que é canalizado para o Estado e cada vez temos piores serviços prestados ou temos que pagar mais por eles, surge a questão: o que se está a passar?

Regularmente os nossos governantes vêm defender-se destes números argumentando que existem países na Europa com maior carga fiscal.

É um facto que existem países europeus com maior carga fiscal mas também têm serviços que prestam aos seus cidadãos que são muito bons (não necessitam de recorrer a serviços médicos privados por exemplo).

Existem duas alternativas, na primeira encarregamos o Estado de assegurar os serviços essenciais da sociedade e aí os cidadãos pagam impostos altos mas têm o devido retorno. A alternativa é um Estado minimalista em que os cidadãos pagam poucos impostos e sabem à priori que têm que assegurar os serviços que necessitam (saúde, reforma...).

O que está a acontecer em Portugal é que temos uma carga fiscal elevada mas não temos o devido retorno nos serviços prestados, temos que recorrer por exemplo a serviços de saúde privados caso pretendamos um atendimento atempado.

Fica a questão: para onde vai o dinheiro que é pago pelos impostos de todos nós?

 

 

publicado por pmaa às 21:52
Boa tarde.
Será que o aumento da carga fiscal é do aumento em % ou de um maior rigor
na fiscalização o que leva a que as declarações fiquem mais perto da realidade.
Pensamos ser fruto de uma maior exigência (pelo menos em parte!) e estamos competamente de acordo.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Boa tarde. <BR>Será que o aumento da carga fiscal é do aumento em % ou de um maior rigor <BR>na fiscalização o que leva a que as declarações fiquem mais perto da realidade. <BR>Pensamos ser fruto de uma maior exigência (pelo menos em parte!) e estamos competamente de acordo. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Tambem</A> estamos de acordo descontamos muito. <BR>Será que os serviços que nos prestam são tão maus ou somos nós, que habituados ao chico-espertismo , usamos os serviços de forma incorrecta e depois o dinheiro não chega. Quantas consultas Médicas sem necessidade? Quantos medicamentos comprados que nunca são utilizados? Quantas baixas sem razão? Quantas reformas sem necessidade? <BR>Quanto a nós Freguesia temos a Cediara e teremos que manter uma boa gestão para podermos assegurar o continuação desta grande obra, pois sabemos quanto é difícil manter estas instituições ao longo dos anos. <BR>Saudações cordiais <BR>Margens do Caima
telliatela a 5 de Janeiro de 2009 às 17:14
Boa tarde, o que está a acontecer é um aumento da taxa e um aumento da eficiência.
Não concordo com o aumento da taxa e concordo plenamente com o aumento da eficiência, mas este aumento deveria corresponder a uma diminuição da taxa no global.
Na realidade não tem acontecido, pelo contrário tem aumentado.
pmaa a 9 de Janeiro de 2009 às 18:42
Rádio
Que Horas são?
Quantos Já Passaram Por Aqui
Estadisticas y contadores web gratis
Oposiciones Masters
Redes Sociais
Euromilhões
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
18
19
20
22
23
25
26
27
29
30
31
Posts mais comentados
últ. comentários
Muito Bom post. Realmente, este flagelo agrava em ...
Não são os moradores da Branca que não querem a Au...
q fotinha singela ! hehe
muito legal e interessante este blog, eu preciso p...
Olá ;)) parabéns pelo blog.
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Caríssimo,O Sempre a Produzir está de volta. Peço ...
PENA SEJA QUE OS INTERESSES E GUERRAS PESSOAIS SEJ...
A estação metro deve ser na rotunda que andam a fa...
Caro Webmaster de Sapo.pt,Nós realizamos um motor ...
links
blogs SAPO